sábado, 11 de abril de 2009

Ilhas Selvagens

As Selvagens são constituídas por dois grupos de pequenas Ilhas, das quais se destacam a Selvagem Grande, a Selvagem Pequena e o Ilhéu de Fora.

Estão situadas a cerca de 163 milhas da Ilha da Madeira e representam o extremo Sul do território nacional.

A Reserva Natural das Ilhas Selvagens foi criada em 1971, sendo uma das mais antigas Reservas Naturais de Portugal.

Actualmente é a única reserva portuguesa galardoada com o Diploma Europeu do Conselho Europa.

A sua criação fica a dever-se à necessidade de defender a avifauna marinha aí nidificante contra a intensa predação humana, que se intensificou sobremaneira com o aparecimento dum cada vez maior número de barcos de pesca a motor.

A gestão desta Reserva está a cargo do Serviço do Parque Natural da Madeira desde os fins de 1989 e a sua vigilância permanente, iniciada em 1976, é actualmente efectuada pelos elementos do Corpo de Vigilantes da Natureza (CVN).

De um ponto de vista global, o objectivo da Reserva Natural das Ilhas Selvagens é o de contribuir para a manutenção da biodiversidade mundial. Esta contribuição envolve três grandes áreas da gestão da vida selvagem:

- Protecção de importantes áreas de nidificação de aves marinhas pouco comuns
- Protecção duma flora muito importante com algumas espécies únicas
- Manutenção dos stocks de pesca daquela área do Atlântico.

Fauna e Flora

A vegetação das Selvagens, outrora usada com fins comerciais através da apanha da urzela, líquenes do género Nemaria que eram exportados para a Flandres, reveste-se, hoje em dia, de um grande interesse científico. Presentemente, existem cerca de 105 espécies de plantas, na sua generalidade de porte rasteiro.

A riqueza da vegetação destas ilhas assume particular relevo na Selvagem Pequena e Ilhéu de Fora.

Estas duas, pequenas, bastante inóspitas e remotas, nunca foram alvo de qualquer tentativa de colonização inclusive a introdução de herbívoros.

Este facto traduz-se nos nossos dias numa espectacular riqueza em termos de vegetação, contando as mesmas com nove dos 11 endemismos de todo este sub-arquipélago.

Espécies como Lobularia canariensis (DC.) Borgen ssp. rosula-venti (Svent.) Borgen, Scilla maderensis Menezes var. melliodora Svent., Limonium papillatum var. callibotryum, Lotus salvagensis Murr. e Euphorbia anachoreta Svent. são o exemplo real desta fabulosa riqueza. Refira-se que este último taxon só ocorre no Ilhéu de Fora.

Em virtude das condições que estas ilhas apresentam para a nidificação de aves marinhas são, vulgar e justamente, consideradas como um "santuário ornitológico". De todas as espécies que aqui nidificam o destaque vai para a extremamente numerosa colónia de

cagarras (cerca de 13600 casais).

No que diz respeito às outras espécies destaca-se

o Calcamar, Pelagodroma marina
a Alma Negra, Bulweria bulwerii
o pintainho, Puffinus assimilis
e o raríssimo Garajau Rosado, Sterna dougalli

Temos ainda a referir

a osga, Tarentola boettgeri bischoffi



outro endemismo destas Ilhas e a existência de um coleoptero endémico do Ilhéu de Fora

Deuchalion oceanicus



que vive exclusivamente associado a uma planta hospedeira,também endémica, a Euphorbia anachoreta.

http://www.madeiranature.com/index/cms/page/-/page/Ilhas%2BSelvagens/lang/pt

1 comentário:

  1. Muito boa caracterização da fauna e flora existentes nas ilhas.

    Os meus parabens

    ResponderEliminar